Entenda como funciona a hipertensão e o que fazer para amenizar este problema

Conhecida popularmente como pressão alta, nem sempre quem sofre de hipertensão arterial consegue saber logo de cara se realmente foi acometido pela doença. Afinal, ela é assintomática, silenciosa e pode aparecer em qualquer idade.

“Por isso, medir a pressão e ter um acompanhamento médico periódico é de extrema importância, pois somente ele consegue detectar a doença”, esclarece o cardiologista Dr. Miguel Moretti, do Hospital e Maternidade São Luiz Anália Franco.

De acordo com ele, as pessoas que sofrem de pressão arterial alta (maior que 14/9) têm maior risco de desenvolver doenças cardiovasculares (como infarto e derrame), lesões no cérebro (aneurisma e derrames cerebrais), problemas no rim (pelo fato do esforço do corpo sobrecarregar o órgão) e nos vasos sanguíneos. Ou seja, o hipertenso que não fizer o tratamento adequado pode desenvolver, ao longo do tempo, essas lesões em órgãos-alvo.

Tratamento

Para cada tipo de hipertenso, há um tipo de tratamento ind, mas é unânime a ideia de que, para começar, a pessoa precisa passar a ter hábitos alimentares saudáveis e conforme recomendação médica, associar a dieta à prática de exercícios físicos. Além disso, alguns pacientes precisam tomar remédios específicos, de uso contínuo, e levar em conta a necessidade de evitar o cigarro e monitorar seus níveis de colesterol e histórico familiar (já que a causa também pode ser genética).

Cuidados básicos

Além do tratamento, é importante que a pessoa que sofre de pressão alta tome outros cuidados básicos, entre eles:

- Perder peso;

- Praticar uma atividade física regular;

- Comer alimentos com pouco sal;

- E o mais importante, segundo o Dr. Miguel: evitar a automedicação.

“Com acompanhamento médico, identificação da causa quando possível e tratamento correto, os riscos de maiores

complicações são reduzidos e, dependendo da causa, pode-se até chegar à cura da hipertensão”, afirma.

Alerta

O estresse faz parte da vida, mas sua sobrecarga também pode trazer problemas emocionais, psicológicos e físicos, incluindo doenças coronarianas, pressão alta, dor no peito e batimentos cardíacos irregulares. Por isso, ao sentir ou conhecer alguém que passe por isso, redobre a atenção e os cuidados.

Crianças

Segundo o Dr. Guilherme D’andrea Saba Arruda, também cardiologista, a doença vem crescendo entre crianças e adolescentes (atingindo 5% desta população), e raramente é identificada pelos pais.

Então, de forma geral, os sintomas costumam ser: dor de cabeça, tonturas, falta de ar, zumbido no ouvido, visão embaçada, sangramento nasal e cansaço.

“Por ser uma doença silenciosa, é muito importante fazer avaliações periódicas da pressão nas consultas médicas de rotina das crianças e adolescentes. É a única maneira de enxergar uma possível alteração”, alerta o Dr. Guilherme.

Curiosidades sobre a doença

De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil, 24% da população adulta sofre com a hipertensão arterial, principalmente acima dos 30 anos, e 85% desconhece sua causa. Por essa razão, o Dr. Miguel faz questão de esclarecer uma questão importante, a desmistificação de que a cefaleia, conhecida como dor de cabeça, seja uma consequência da hipertensão. “Ela muitas vezes é o agente provocador do aumento da pressão e não o contrário”, esclarece.





Tags: hipertensão; sal; pressão alta



Deixe seu comentário

Para comentar ou responder, você precisa se cadastrar ou estar logado.


0 Comentários