Um novo bebê traz inúmeras mudanças dentro da família, preparar os filhos mais velhos para essa nova situação é muito importante

A espera de um bebê na família é motivo de muita alegria para todos. Porém, quando já se tem um pequeno em casa, pode também se tornar um motivo de preocupação. Nem sempre o primogênito aceita esse presente com muita alegria. Alguns podem se sentir inseguros e com medo. Isso pode gerar um sentimento que talvez a criança nunca tenha tido: o ciúme.

A demonstração de ciúme pode variar. É comum ficar desobediente, ter episódios de choros sem motivo várias vezes ao dia, fazer birras ou regredir em alguns comportamentos (como querer usar a chupeta, mamadeira ou ter de usar fralda novamente, ou voltar a ter fala mais infantilizada).

“Esses comportamentos têm um único objetivo: chamar a atenção da família. A situação, por mais difícil que pareça, é natural e deve ser trabalhada normalmente no dia a dia, com muita conversa e compreensão”, explica o Dr. Carlo Crivellaro, pediatra com título de Especialista em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria, Membro da Sociedade Brasileira de Pediatria e Membro da Highway to Health International Healthcare Community.

A chegada de mais um membro na família pode parecer, para o primogênito, uma ameaça, significando perder o amor e o carinho de seus pais. Até então, todas as atenções eram somente para ele, e agora terá de dividir as pessoas mais importantes de sua vida. Confira um bate-papo com o médico:

Qual a melhor forma de preparar uma criança para a chegada do novo irmão?

A chegada de um novo bebê traz muitas mudanças para a família. Os pais se mobilizam com os preparativos e, após o nascimento, o bebê exige bastante tempo e atenção dos pais. Isso pode gerar ciúmes no irmão mais velho. Para minimizar esse problema, podem ser tomadas algumas medidas para prepará-lo.

Durante a gravidez, converse com seu filho sobre a chegada do irmãozinho, usando palavras que façam sentido para ele. Por exemplo, um pré-escolar pode não ter muita noção do tempo, e dizer que o bebê chegará em 6 meses pode não significar nada. Pode ser mais fácil para ele entender dizer que chegará no inverno, quando estiver fazendo frio.

Pode ajudar no momento de responder as dúvidas, mostrar fotos dele próprio quando recém-nascido, ler  livros sobre nascimento próprios para a idade, visitar amiguinhos que tenham um irmão menor, discutir possíveis nomes e até levar na consulta para que escute o coraçãozinho do bebê.

Explique também que, no início, o bebê só irá mamar, dormir e chorar, e irá demorar para que possam brincar juntos. Caso precise fazer alguma mudança, como trocar o mais velho de quarto ou tirar do berço para ceder ao mais novo, o ideal é mudar bem antes do nascimento, para que se adapte antes.

Quais sinais que demonstram ciúmes?

A criança pequena pode regredir em algumas de suas conquistas. Por exemplo, pode voltar a usar chupeta, voltar a falar errado ou infantilizado, voltar a molhar a cama à noite. É comum apresentar sinais de raiva ou agressividade e necessidade de ficar mais grudado à mãe, recusando afastar-se dela.

Crianças maiores também podem apresentar muitos sinais de ciúmes, pois não têm mais a atenção e amor dos pais exclusivamente para elas. Apesar de muitas vezes se sentirem entusiasmadas com a chegada, podem não saber lidar bem com o sentimento de ciúmes e ficarem envergonhadas, culpadas ou se sentindo meio bobas. O temperamento e a personalidade de cada criança farão toda a diferença.

De que forma isso pode se tornar um problema para o desenvolvimento da criança?

O ciúme, quando não muito intenso, é um sentimento normal. Seria de se estranhar a chegada de um recém-nascido e o irmão mais velho não sentir nenhuma rivalidade. Se não lidar bem com o ciúme e não tiver o apoio da família, com o tempo, pode apresentar ansiedade e até um bloqueio emocional, ficando apático, sem entusiasmo, preguiçoso.

Quando essa fase se estende muito, pode levar a um distúrbio de personalidade, levando a problemas, como indecisão, ambivalência e dificuldades em tarefas que exijam abstração.

Por que esse sentimento acontece nas crianças?

O ciúme do irmão tem diversos motivos. Nessa fase de recém-nascido, o principal motivo é a criança considerar que está recebendo menos atenção ou carinho do que o irmão. Com isso, sentem que sua relação com os pais está ameaçada, e como ainda não sabem chamar a atenção de maneira positiva, ou ainda não é possível brincar com o irmão, aparece então o comportamento de ciúmes. Os pais não terem tempo para dividir entre as crianças e/ou tempo com toda a família junta favorece o aparecimento desse sentimento.

Pode acontecer em qualquer idade, ou é mais recorrente em uma fase?

Sim, pode ocorrer em qualquer idade, mas de formas diferentes. Uma criança que foi filho único por 2 anos pode apresentar determinados sinais de ciúmes. Por outro lado, uma criança que foi filho único por 10 anos, apesar de intelectualmente entender que não é o centro do universo, pode achar que o seu mundo ideal acabou! Os pais podem precisar de ajuda especializada para orientá-los, em qualquer dos casos.

Sendo assim, como ajudar seu filho?

1º – Não espere a criança ter comportamentos inadequados para prestar atenção nela. Por mais cansativo que seja, divida seu tempo entre os cuidados com o mais novo e o mais velho.

2º – Envolva a criança nos cuidados com o bebê, respeitando, é claro, suas limitações. Peça pequenas coisas para ela, como pegar a fralda na gaveta, limpar a boquinha do irmãozinho, entre outras coisas fáceis de fazer.

3º – Elogie sempre os bons comportamentos. Abrace seu filho e mostre alegria por ter se comportado bem e ter tido demonstrações de carinho com o irmão mais novo.

4º – Quando ele tiver um comportamento inadequado, não se exalte, pois quanto mais importância você der, mais fará parecer que aquilo está fazendo sucesso. Tente se mostrar indiferente.

5º – Converse sobre o assunto com seu filho. Deixe-o falar como está se sentindo, deixe claro o quanto ele é amado e que existe espaço suficiente no seu coração para os dois.

Quem já passou por isso sabe que não é uma tarefa simples. No entanto, cabe a nós ajudar os pequenos a lidar com esse sentimento tão novo e conflitante. Crie um ambiente de cumplicidade e aconchego, onde a criança se sinta segura e possa participar da novidade com alegria.

 





Tags: ciúmes, criança, gravidez, irmão



Deixe seu comentário

Para comentar ou responder, você precisa se cadastrar ou estar logado.


0 Comentários