O consumo excessivo de sal é um dos fatores de risco da hipertensão e a maioria das pessoas já ouviu falar sobre seus malefícios. Mas por que ele faz a pressão subir? Segundo os cardiologistas José Luiz Aziz, diretor da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp) e Luiz Bortolotto, diretor científico da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), isso acontece principalmente por conta de dois mecanismos: contração dos vasos e retenção de líquidos.

O sal em grande quantidade faz com que os vasos se contraiam, e o efeito é o mesmo da água saindo mais forte de uma mangueira quando tampamos um pouco sua saída. Além disso, o sal promove a retenção de líquidos, aumentando o volume de sangue circulante, o que sobrecarrega o coração e exige maior esforço do rim para poder filtrá-lo.

A recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é que o consumo diário de sal seja inferior a 5 gramas (o que equivale a menos de 2 gramas de sódio, principal substância do sal). Porém, o brasileiro consome, em média, 12 gramas por dia, mais que o dobro do que é recomendado. “Se a gente conseguir consumir abaixo de 4 gramas, é sempre melhor”, afirma José Luiz. E atenção: A indicação vale para todos, hipertensos ou não.

Quem sofre de hipertensão também deve reduzir a ingestão de certos produtos ultra-processados, pois muitas vezes eles têm alto teor de sódio, manter a conservação dos alimentos. “Alguns produtos, como temperos prontos, molhos, enlatados, embutidos e macarrão instantâneo têm grandes quantidades de sódio, muitas vezes “escondido” (não sentimos o gosto tão salgado). Portanto, é importante o paciente prestar atenção nos rótulos”, explica Luiz Bortolotto.

O especialista ainda esclarece: “Para os pacientes hipertensos, a orientação é reduzir o sal adicionado aos alimentos na hora do preparo para 3 gramas e diminuir o consumo de processados, que correspondem aos 2 gramas restantes recomendados.”

O dr. José Luiz Aziz lembra que somente o consumo em excesso da substância não faz a pessoa se tornar hipertensa. O sal pode fazer a pressão subir temporariamente quando alguém come alimentos com alta concentração de sódio, mas isso não significa que a pessoa é hipertensa. Ela, de certo modo, “fica” hipertensa por alguns dias.

“A maioria das pessoas hipertensas desenvolve a doença em virtude da herança genética”, explica o cardiologista. Os dados são realmente impressionantes: segundo o Ministério da Saúde, a doença é herdada dos pais em 90% dos casos, e a etnia negra tem maior risco. Mas existem outros fatores importantes que não podem ser desconsiderados: tabagismo, estresse, obesidade, colesterol alto e excesso de bebidas alcoólicas.

José Luiz explica ainda que o sódio já está presente em diversos alimentos e, por isso, não precisamos ingerir ainda mais. Para ele, a questão do uso exagerado está mais ligada às preferências do paladar.

 





Tags: hipertensão, sal, pressão alta



Deixe seu comentário

Para comentar ou responder, você precisa se cadastrar ou estar logado.


0 Comentários