A hipertensão é uma doença grave. Aposto que você já ouviu que pode causar infarto e AVC. Para os homens, pode ainda haver outro problema: a disfunção erétil.

Tanto a pressão alta em si quanto os medicamentos para tratá-la podem afetar a ereção. No primeiro caso, acontece o seguinte: quando não está controlada, a hipertensão causa instabilidade no fluxo sanguíneo, o que pode prejudicar a chegada de sangue ao pênis. Sem sangue, não ocorre a ereção.

No segundo caso, o problema é que alguns remédios para tratar hipertensão e outras doenças cardiovasculares podem ter a disfunção erétil como efeito colateral. Nesses casos, o paciente não deve interromper a medicação anti-hipertensiva, e sim procurar atendimento médico para reverter o quadro.

A abordagem nesses casos varia conforme a causa e o estilo de vida do paciente. Há opções como medicamentos orais, injeções e terapia, no caso de o problema estar relacionado a alguma questão psicológica. O ideal é que pessoas que tomem remédios para o coração consultem um cardiologista antes de tomar medicamentos para disfunção, pois dependendo do medicamento, a combinação pode trazer consequências como pressão baixa e, em casos mais graves, até isquemia.

Vale lembrar que a disfunção erétil é caracterizada pela falta de ereção permanente. Somente uma falha ocasional de ereção, que pode ocorrer com qualquer homem, não significa impotência.





Tags: hipertensão; disfunção erétil; medicamentos; homens



Deixe seu comentário

Para comentar ou responder, você precisa se cadastrar ou estar logado.


0 Comentários