Já ouviu falar em pessoas que têm colesterol alto, mesmo quando se alimentam equilibradamente e praticam exercícios? A hipercolesterolemia familiar (HF) é uma doença genética que se caracteriza por causar níveis elevados de colesterol (LDL, o colesterol “ruim”, acima de 210 mg/dl), podendo causar manifestações cardíacas precocemente.

Segundo o Incor, mais de 350 mil brasileiros possuem a doença, mas menos de 3,5 mil têm conhecimento de seu próprio diagnóstico. Por se tratar de uma disfunção familiar, a falta de diagnóstico pode afetar muitas gerações, perpetuando o padrão de risco.

O diagnóstico adequado da HF pode mudar a história das famílias que têm a alteração genética. “Com o tratamento correto, é possível retardar de dez a 30 anos a mortalidade em pessoas com esse mal, com melhora substancial da qualidade de vida”, explica o cardiologista do Incor, Dr. Raul dos Santos Filho, diretor da Unidade Clínica de Lípides da instituição.

Mas você deve estar se perguntando: por que o colesterol dos portadores de HF não baixa nunca? Primeiramente, é necessário entender como funciona o processo de metabolização da gordura.

Nosso organismo elimina o colesterol pelo fígado, por meio da bile. No órgão, receptores captam o LDL, que fica ancorado na membrana do fígado. Depois os receptores conduzem o colesterol para dentro do órgão, onde é metabolizado e eliminado. Os receptores então voltam para a superfície para captar mais LDL.

Na pessoa com HF, a quantidade de receptores é menor e, assim, o LDL vai se acumulando no sangue. Quanto menos receptores, maior a gravidade e precocidade de doenças cardíacas.

O tratamento da HF é contínuo e o paciente necessita ser monitorado constantemente pelo cardiologista. Em muitos casos, somente a mudança do estilo de vida não basta, principalmente se o indivíduo possui níveis elevados de LDL, chegando a 400 ou 500 mg/dl.

Os medicamentos usados para tratar a doença podem ser  combinados para atuar em diferentes frentes, tanto para bloquear a absorção do colesterol como para melhorar o funcionamento dos receptores. Siga as orientações médicas com disciplina.

O Incor de São Paulo tem um programa gratuito para quem tem HF. Se você tiver colesterol LDL acima de 210 mg/dl e membros em sua família com infarto do miocárdio em idade inferior a 45 anos, entre em contato pelo e-mail hipercolbrasil@incor.usp.br, enviando como anexo uma cópia ou foto do seu exame de colesterol junto com um número para contato telefônico.





Tags: colesterol; hipercolesterolemia; exame ; infarto



Deixe seu comentário

Para comentar ou responder, você precisa se cadastrar ou estar logado.


0 Comentários