Pessoas com diabetes devem sempre estar atentas ao nível de açúcar no sangue. Geralmente quem tem a doença aprende a identificar os alimentos que devem ser evitados, mas muitos pacientes desconhecem um fator importantíssimo que precisa ser levado em conta: o índice glicêmico (IG) dos alimentos.

A quantidade de carboidratos (açúcares) que um alimento contém é importante, mas conta também a velocidade com que esse açúcar chega à corrente sanguínea. E essa velocidade é representada pelo índice glicêmico. Quanto mais alto o IG do alimento, mais rápida é a absorção da glicose, o que resulta em maior pico da glicemia (quantidade de açúcar no sangue).

Quanto mais o paciente mantém sua glicemia alta, maior o risco de sofrer consequências graves como infarto, AVC (acidente vascular cerebral) e doenças renais.  O índice é calculado de 0 a 100 conforme a rapidez com que a glicose aumenta em cada tipo de alimento. Os que são absorvidos mais rapidamente têm IG acima de 70. Entram aí alimentos que muitos pacientes sabem que precisam evitar, como batata, arroz branco e pão branco, mas alguns têm IG alto e não parece. É o caso, por exemplo, da melancia, da abóbora e da beterraba.

É recomendável que pessoas com diabetes consumam alimentos com IG menor que 45, pois nesses casos os carboidratos são digeridos aos poucos e, por consequência, os picos de açúcar no sangue acabam sendo menores. Entre os exemplos, temos maçã, cenoura, feijão, leite desnatado, lentilha, amendoim e castanha-do-pará.

Além dos cuidados com a alimentação, não deixe de medir a glicemia diariamente. É recomendável ter um medidor em casa para poder registrar cada número e levar na consulta para seu médico ajustar o tratamento sempre que necessário. Eles são fáceis de manusear e você pode encontrar nas filiais da Drogaria São Paulo e da Drogarias Pacheco.

 





Tags: alimentos; índice glicêmico; açúcar; diabetes



Deixe seu comentário

Para comentar ou responder, você precisa se cadastrar ou estar logado.


0 Comentários