A obesidade é um dos principais fatores de risco para o colesterol alto, mas se engana quem acha que somente pessoas obesas podem ter a doença. Pessoas magras precisam ficar atentas à sua alimentação e realizar exames de rotina.

Você com certeza já ouviu falar sobre os “falsos magros”. São pessoas que comem excessivamente e não engordam. Esse grupo precisa dobrar a atenção com o colesterol, já que, dependendo da qualidade dos alimentos ingeridos, pode haver alterações nos níveis do colesterol, e se a pessoa ficar presa à ideia de que magreza significa saúde, pode não procurar ajuda. O risco aumenta quando existem outros fatores envolvidos, como sedentarismo e tabagismo.

Quando a pessoa é magra, mas mantém uma alimentação desbalanceada, existe um risco aumentado de excesso de gordura visceral, um tipo de gordura que não é aparente, mas preenche os espaços entre os órgãos do abdômen. Ela pode provocar o espessamento das artérias, formar placas de gordura e provocar obstrução de vasos, o que aumenta o risco de doenças cardiovasculares.

Ser magro nem sempre é sinônimo de ser saudável. Alimentar-se de forma equilibrada e praticar atividade física é indicado para todos para reduzir o risco de elevação do colesterol ruim. Converse com seu médico; ele poderá solicitar exames para verificar seus níveis de colesterol.





Tags: colesterol; gordura visceral; falsos magros; alimentos



Deixe seu comentário

Para comentar ou responder, você precisa se cadastrar ou estar logado.


0 Comentários