A reeducação alimentar é parte importante do tratamento do colesterol, assim como tomar os medicamentos prescritos pelo médico e praticar atividades físicas regularmente. Para manter os índice sob controle, o ideal é tentar reduzir o consumo de gordura ruim da dieta, como frituras e carnes muito gordurosas. Mas existe um outro tipo de alimento que costuma passar despercebido pela pessoas, principalmente por “esconder” essas gorduras. São os alimentos ultraprocessados.

Ultraprocessados quer dizer que são produzidos com substâncias extraídas de alimentos ou derivados, como óleos, gorduras e açúcares. Eles ainda podem conter substâncias sintetizadas em laboratórios, como corantes, aromatizantes e realçadores de sabor. É fácil identificá-los, principalmente pela sua aparência.

Salsicha, linguiça, nuggets, bolacha, refrescos, salgadinhos e refrigerantes são alguns deles. São produtos que não se parecem com os alimentos de origem e muitos deles possuem um sabor ou aroma diferente do original. Na maioria dos casos, seu baixo custo e facilidade de preparo se tornam atrativos ao consumidor.
 

Em geral, esse tipo de alimento possui baixo valor nutricional, sendo pobre em vitaminas e possui altos índices de gordura ruim, o que prejudica o colesterol. Não é preciso excluí-los definitivamente da sua alimentação, mas é importante que não sejam a base. Dê preferência para alimentos in natura na hora de preparar suas refeições, como frutas, legumes, grãos, verduras e carnes leves. Além disso, nunca abandone seu tratamento sem antes consultar um especialista





Tags:



Deixe seu comentário

Para comentar ou responder, você precisa se cadastrar ou estar logado.


0 Comentários