Sociedade Brasileira de Diabetes fez estudo que aponta riscos de manter esse costume

Ela ajuda a controlar o índice de glicemia no sangue e é essencial para garantir que as pessoas com diabetes mantenham a saúde do corpo, porém ainda existem dúvidas sobre como usar e descartar as agulhas de insulina.

Segundo novo estudo e divulgação inédita da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), a reutilização de agulhas e seringas para a insulina coloca em risco a saúde do paciente e não é uma prática recomendada.

O objetivo da pesquisa é orientar da melhor forma sobre o tratamento injetável do diabetes aos profissionais de saúde.

Comum entre os pacientes brasileiros, o reuso da agulha é um hábito prejudicial. Vale lembrar que as recomendações da Anvisa e fabricantes é de que a agulha seja utilizada apenas uma vez, porém existem casos em que a pessoa reutiliza até cinco vezes.

Segundo a SBD, a reutilização de agulhas pode estar associada ao desenvolvimento de lipo-hipertrofia (acúmulo anormal de gordura sob a superfície da pele que prejudica aplicações posteriores de insulina); infecções do tecido subcutâneo; casos inexplicáveis de hipoglicemia; variabilidade glicêmica; leve aumento da HbA1C (exame que mede glicose); dor e desconforto nas aplicações. Além disso, trazem risco de contaminação.

Tamanho ideal

O estudo também pede agulha mais curta, que não é padrão no país, e faz outras recomendações para o tratamento da doença, que afeta milhões de brasileiros. Os diabéticos devem ter em mãos agulhas curtas de, no máximo, quatro milímetros em caneta injetora e seis milímetros em seringas. Elas são mais confortáveis e seguras, além de reduzirem o risco de o hormônio ser depositado indevidamente no músculo.

Anote aí:

  • A ponta de uma agulha reutilizada pode ficar enfraquecida a ponto de quebrar e ficar presa sob a pele.
  • Uma agulha reutilizada não injeta tão facilmente quanto uma nova e pode causar dor, sangramento e hematomas.
  • Estudos têm demonstrado que há uma ligação entre a reutilização de agulhas e o aparecimento de nódulos de tecido adiposo que podem se formar no local da aplicação (lipodistrofia). A lipodistrofia leva à hiperglicemia provocada pela absorção irregular da insulina.
  • Pode ocorrer obstrução da agulha, devido à cristalização da insulina no interior da agulha.

Siga corretamente as recomendações e tenha uma vida saudável e longe de qualquer problema. Se tiver alguma dúvida, converse com seu médico!





Tags: Insulina, diabetes, glicose, glicemia



Deixe seu comentário

Para comentar ou responder, você precisa se cadastrar ou estar logado.


0 Comentários