Exames realizados nessa etapa ajudam a detectar e prevenir quaisquer tipos de problema

A gravidez é um período especial e para curtir cada momento com muita alegria, é importante ter cuidados essenciais com o bebê e, para isso, o pré-natal é essencial.

Segundo o Ministério da Saúde, com os exames médicos, é possível identificar e reduzir muitos problemas de saúde que costumam atingir a mãe e seu bebê. Doenças, infecções ou disfunções podem ser detectadas precocemente e tratadas de forma rápida.

Além disso, a realização do pré-natal representa papel fundamental em termos de prevenção e/ou detecção precoce de patologias, tanto maternas como fetais, permitindo um desenvolvimento saudável do bebê e reduzindo os riscos da gestante.

Vantagens do pré-natal:

  • Permite identificar doenças que já estavam presentes no organismo, porém, evoluindo de forma silenciosa, como a hipertensão arterial, diabetes, doenças do coração, anemias, sífilis, etc;

Seu diagnóstico permite medidas de tratamento que evitam maior prejuízo à mulher, não só durante a gestação, mas por toda sua vida;

  • Detecta problemas fetais, como más formações. Algumas delas em fases iniciais permitem o tratamento intrauterino que proporciona ao recém-nascido uma vida normal;
  • Avalia ainda aspectos relativos à placenta, possibilitando tratamento adequado. Sua localização inadequada pode provocar graves hemorragias com sérios riscos maternos;
  • Identifica precocemente a pré-eclâmpsia, que se caracteriza por elevação da pressão arterial, comprometimento da função renal e cerebral, ocasionando convulsões e coma. Esta patologia constitui uma das principais causas de mortalidade no Brasil.

Principais objetivos:

  • Preparar a mulher para a maternidade, proporcionando informações educativas sobre o parto e o cuidado da criança (puericultura);
  • Fornecer orientações essenciais sobre hábitos de vida e higiene pré-natal;
  • Orientar sobre a manutenção essencial de estado nutricional apropriado;
  • Orientar sobre o uso de medicações que possam afetar o feto ou o parto ou medidas que possam prejudicar o feto;
  • Tratar das manifestações físicas próprias da gravidez;
  • Tratar de doenças existentes, que de alguma forma interfiram no bom andamento da gravidez;
  • Fazer prevenção, diagnóstico precoce e tratamento de doenças próprias da gestação ou que sejam intercorrências previsíveis dela;
  • Orientar psicologicamente a gestante para o enfrentamento da maternidade;
  • Nas consultas médicas, o profissional deverá orientar a paciente com relação a dieta, higiene, sono, hábito intestinal, exercícios, vestuário, recreação, sexualidade, hábitos de fumo, álcool, drogas e outras eventuais orientações que se façam necessárias.

Fonte: Ministério da Saúde





Tags: pré-natal, gestante, bebê, maternidade, prevenção



Deixe seu comentário

Para comentar ou responder, você precisa se cadastrar ou estar logado.


0 Comentários