Compulsivos ou os que não comem, saiba o que fazer quando o seu filho é teimoso na hora da refeição

Seja aquela criança que não gosta de comer, aquela que come exageradamente ou a que prefere os doces e salgadinhos à alimentação saudável. Todos os pais que passam por isso sabem: o mais difícil é lidar com a teimosia dos filhos quando o assunto é tentar mudar esse comportamento. Conversamos com Rodrigo Buoro, psicanalista e professor universitário, que explicou como lidar com cada tipo de situação.

Compulsão

O transtorno alimentar compulsivo está fortemente associado à obesidade em adultos e crianças ou adolescentes. “É caracterizado por episódios recorrentes de compulsão alimentar, associados à perda de controle, ansiedade e falta de mecanismos compensatórios para ‘eliminar’ excesso de ingestão, diferenciando assim a bulimia nervosa, em que a ingestão descontrolada de alimentos é seguida por métodos de controle de peso, tais como vômitos, uso de diuréticos, laxantes, supressores de apetite ou prática intensa de atividade física”, conta Rodrigo.

Algumas causas:

  • Dieta realizada erradamente;
  • Comer para o conforto emocional;
  • Alimentação compulsiva pode ser uma forma de as pessoas lidarem com o estresse;
  • Problemas de imagem corporal;
  • Pessoas com compulsão alimentar, geralmente, não gostam de sua aparência.

Não comem

Existem crianças que praticamente não comem, e “muitas vezes recusam-se estritamente a experimentar certos alimentos até que não queiram se sentar à mesa. Nesses casos, alguns pais percebem que o problema da criança não é tanto com o alimento em si, mas com o fato de interromper o jogo, assim, alguns incentivos podem funcionar”, orienta. (Veja as dicas abaixo).

Biscoitos, refrigerantes e salgadinhos

Muitas crianças se recusam a comer arroz e feijão, porque guloseimas são mais atraentes. “Comece a oferecer o alimento certo no momento certo. De manhã, dar o leite ou iogurte. No meio da manhã, sugerir uma fruta. Se ela concordar, tudo bem. Caso contrário, não dê nada em troca e espere a hora do almoço, quando você vai servir a comida. Se ela não aceitar, não substitua. Deixe-a com fome e, quando ela quiser comer, volte com o prato. Caso não queira, dar frutas no tempo de lanche, e depois jantar. Fazer isso por cinco dias deve funcionar”, orienta o psicanalista.

Dicas para enfrentar a teimosia

  • Uma sugestão é fazer entre o intervalo da diversão para a refeição alguma atividade intermediária, como lavar as mãos com um sabão colorido ou uma forma diferente antes de comer.
  • Os pais também podem criar travessuras e charadas sobre as refeições, como pedir à criança para adivinhar o que eles têm para o almoço e a cor do suco, por exemplo, para que a hora das refeições seja um grande deleite aos menores.
  • Criar regras básicas – você pode estipular porções que seu filho pode comer. Um exemplo seria um doce um dia após o almoço.
  • Coloque-se no lugar da criança.
  • O que é nutritivo também pode ser divertido!
  • Faça espetos de frutas e vegetais: este formato tem duas vantagens. Por já estarem cortados, morder e mastigar os torna mais fácil de consumir.
  • Adicione frutas às sobremesas: ao invés de servir uma porção inteira de sorvete. Outra opção é fazer bolos de frutas, como banana, maçã ou cenoura.




Tags: alimentação, frutas, crianças, teimosia



Deixe seu comentário

Para comentar ou responder, você precisa se cadastrar ou estar logado.


0 Comentários